segunda, 17 maio 2021 14:04

Miguel Silva Gouveia acompanhou Secretária de Estado da Inclusão em visita pelo Funchal

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, acompanhou hoje a visita ao Funchal da Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes. Ao encontro institucional nos Paços do Concelho, sucedeu-se uma visita ao Museu do Açúcar para testar os audioguias e equipamentos tácteis, e ainda uma visita à exposição de equipamentos de acessibilidades às praias que está presente na Praça de Colombo.

Miguel Silva Gouveia começou por agradecer as palavras de Ana Sofia Antunes “para com o trabalho que temos vindo a desenvolver no campo da Inclusão, e que nos tem permitido quebrar barreiras físicas, sociais, e também cognitivas. É para o Funchal motivo de muito orgulho poder apresentar o trabalho que temos realizado em diversas frentes, e demonstrar, igualmente, que não há centralidade para trabalhar as políticas de inclusão.”

“Todos nós, independentemente de onde estamos, seja no Poder Local ou numa empresa, podemos e devemos colocar no terreno práticas inclusivas, e que são no fundo uma demonstração de como estamos numa sociedade mais desenvolvida, mais solidária, mais inclusiva, e que não deixa ninguém para trás”, acrescentou o autarca.

Na visita à exposição de equipamentos de acessibilidades às praias patente na Praça de Colombo, A Secretária de Estado Ana Sofia Antunes realçou, entre as soluções de apoio, e de orientação e segurança no acesso às praias, o sistema de audioplage “este é um projeto inovador que foi desenvolvido a nível internacional e que está presente em alguns países, mas a nível nacional o Funchal foi a primeira cidade do país que o implementou, e isso é algo que devemos destacar, e que eu gostava e vou trabalhar para que seja disseminado por outras praias Portuguesas.”

O sistema audioplage é uma tecnologia que dá autonomia e segurança a pessoas invisuais, permitindo-lhe aceder ao mar, de forma autónoma, e nadar com tranquilidade. Miguel Silva Gouveia sublinhou que este sistema “foi escolhido no âmbito das práticas de democracia participativa que o Funchal tem vindo a implementar, nomeadamente por meio do Orçamento Participativo de 2015, e está instalado em permanência na Praia Formosa.”

A Secretaria de Estado destacou, igualmente, o trabalho feito no Museu A Cidade do Açúcar, “que é um bom exemplo do que pode ser feito a nível de preparação dos espaços culturais para visitas de todos os públicos, com os audioguias, as maquetes, e os desenhos tácteis que estão muito bem feitos.”

O Municipio do Funchal tem vindo a receber diversos prémios ao nível da acessibilidade de onde se destaca o “Cidade Mais Acessível”, atribuído pela Comissão Europeia. O trabalho da Autarquia passa por intervenções no espaço público, com praias adaptadas, com os semáforos sonoros nas passadeiras, rebaixamento dos passeios, piso táteis, entre outros. Em termos culturais, tanto os Museus Municipais, como o Teatro Baltazar Dias, encontram-se completamente adaptados e equipados para pessoas com necessidades especiais.

“Uma das nossas preocupações enquanto Município é justamente que as políticas públicas que implementamos tenham um impacto transformador em prol de uma cidade acessível. O Funchal está a dar passos sólidos nessa política cada vez mais inclusiva, com as experiências a serem oferecidas a todas as pessoas que queiram efetivamente viver o Funchal”, concluiu Miguel Silva Gouveia.