Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram

CMF vai criar Núcleos Comunitários de Defesa em 2017

O Executivo liderado por Paulo Cafôfo vai avançar este ano com a criação de NUPDEC – Núcleos de Proteção e Defesa Civil, que foram uma das propostas finalistas da 1ª edição do Orçamento Participativo do Funchal. Justamente com génese nas ferramentas de Democracia Participativa que o Executivo camarário implementou durante o seu primeiro mandato, os NUPDEC serão uma grande novidade no que diz respeito à proteção de pessoas e bens, dotando o cidadão comum de meios para saber comportar-se numa primeira resposta a situações de catástrofe. A CMF vai, para o efeito, adquirir kits de Proteção Civil para equipar os referidos Núcleos, que se vão juntar a doações solidárias já feitas à Autarquia nesse sentido. Após os incêndios que assolaram a cidade no passado Verão, várias entidades públicas e privadas quiseram disponibilizar ajuda ao Funchal especificamente na componente da prevenção de catástrofes naturais, pelo que o Executivo apresentou o projeto dos NUPDEC e dos kits de Proteção Civil, que foram muito bem recebidos, dando origem a doações nesse sentido. Seguem-se agora os esforços na divulgação e na sensibilização para esta medida, com o intuito de que as escolas e as comunidades se disponibilizem, daqui em diante, a integrar a iniciativa.

Consoante definido pelo Departamento de Proteção Civil e Bombeiros da Autarquia, cada kit tem um custo médio de seis mil euros, e inclui, entre outros, uma motobomba, uma bomba dorsal manual, um tanque autoportante de 4000 litros, diferentes tipos de mangueiras, agulhetas e chaves, um disjuntor, ferramentas de proteção pessoal, como máscaras, luvas e óculos, e ferramentas de sapadores, com batedor, pá, enxada, machado e podoa.

Os NUPDEC têm por finalidade desenvolver um processo de orientação e sensibilização junto da população, tendo como principal objetivo atuar na minimização dos riscos de desastre. A sua instalação é prioritária em territórios sensíveis a estas situações, tendo, por isso, o intuito de preparar a comunidade local para dar uma pronta resposta perante catástrofes. Estes têm um caráter permanente e devem funcionar em estreita colaboração com as entidades responsáveis pela Proteção e Defesa Civil e a população local. Esta ligação permitirá que, quando avisados pelas entidades competentes, os elementos responsáveis pelo NUPDEC mobilizem os meios necessários para preparar a restante comunidade para agir perante a eminência de determinado desastre, diminuindo o efeito surpresa que assola muitas vezes as populações das zonas afetadas.

Durante as calamidades, crianças, adolescentes, pessoas idosas, com deficiência e outros grupos vulneráveis, sofrem, muitas vezes, com a ausência ou escassez de ações direcionadas prioritariamente à sua proteção. Os NUPDEC virão viabilizar, uma vez mais, espaços participativos e democráticos dentro da comunidade, com o propósito de agregar ações de Proteção Civil junto da população, à base de voluntários em cada escola, bairro ou território mais isolado, capitalizando o que a Democracia Participativa tem de melhor.