Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram

Serviços OnlineBalcão do InvestidorInformações ao MunícipePDM UrbanismoRecursos HumanosEditaisReabilitação Urbana

Percurso Pedestre "Pico do Areeiro – Ribeira das Cales"

Apresentação

Percurso pedestre que estabelece a ligação entre o Pico do Areeiro e o centro de receção do Parque Ecológico do Funchal, percorrendo áreas com flora e fauna típicas das zonas de altitude da Madeira. Destaque ainda para a passagem pelo Poço da Neve, construção singular do património regional. Para finalizar o percurso, a exploração do vale da Ribeira das Cales proporciona a observação de alguma vegetação indígena que ladeia as suas margens e o acesso a pequenas cascatas e lagoas que fazem parte do curso de água.

Dados Técnicos

Tipo de percurso – Linear (com pontos de partida de chegada, diferentes)

Âmbito – ambiental, cultural e paisagístico.

Distância – 7,2km

Desnível Positivo Acumulado – 70 m

Desnível Negativo Acumulado – 745m

Localização e altitude de início - Pico do Areeiro N 32°44.096' W 16°55.726' – 1805m

Localização e altitude de chegada – Centro de Receção do Parque Ecológico do Funchal N 32°42.078'; W 16°54.186'; 1130m

Locais de passagem – Vale da Ribeira de Santa Luzia, Poço da Neve, Pico dos Melros, Casa do Areeiro, Vale da Ribeira das Cales.

Descrição do Percurso

O extremo superior do percurso situa-se a 1805 metros de altitude, um pouco abaixo do topo do Pico do Areeiro (1818 metros), que é o terceiro ponto mais alto da Ilha. Na parte inicial do percurso podemos observar uma ampla panorâmica sobre o vale da Ribeira do Cidrão, que conflui no Curral das Freiras com a Ribeira dos Socorridos e também do maciço montanhoso ocidental da ilha da Madeira, onde se destaca o planalto do Paul da Serra.

O Poço da Neve é o ponto seguinte a visitar, a cerca de 1,7km após o início do percurso. É um reservatório datado de 1813, utilizado em tempos para armazenar a neve e o granizo, que caíam esporadicamente nas montanhas mais altas do Funchal. O gelo era utilizado nos hospitais, hotéis e fabrico de sorvetes até à primeira metade do século XX, altura em que apareceram as primeiras máquinas de fabrico de gelo na Madeira.

A continuação do percurso até ao início da Ribeira das Cales é uma oportunidade para observar espécies caraterísticas de altitude, algumas muito raras entre a flora madeirense como a sorveira, Sorbus maderensis, ou mais comuns, como as urzes, Erica platycodon e Erica arborea, a uveira-da-serra, Vaccinium padifolium e algumas árvores, como o perado, Ilex perado e o loureiro, Laurus novocanariensis. Nestas áreas são facilmente observadas várias aves passeriformes sendo as mais comuns o corre-caminhos, Anthus berthelotti madeirensis, e o bis-bis, Regulus madeirensis.

- O vale da Ribeira das Cales é a descoberta seguinte por um carreiro que alterna entre a margem esquerda na parte inicial e continua pela margem direita até à aproximação ao Centro de Receção do Parque Ecológico do Funchal.

Marcas ao longo do Percurso

MarcasDescrição
Caminho certo Caminho certo
Caminho errado Caminho errado
Para a direita Para a direita
Para a esquerda Para a esquerda

Dificuldade

  • Extensão 7,2km
  • Desníveis acumulados – 745 metros em descida e 70m desnível em subida.
  • Piso irregular em diversas partes do itinerário, sobretudo na parte inicial entre o Pico do Areeiro e o vale da Ribeira das Cales e na travessia de linhas de água.
  • Em períodos de chuva os utilizadores devem tomar as devidas precauções, evitando sempre a travessia com caudais elevados, procurando itinerário alternativo para sair do percurso.
  • Possibilidade de ocorrência de nevoeiro que nas zonas a maior altitude poderá dificultar a orientação no percurso.

Recomendações

  • Confirmar a extensão do percurso pedestre, as opções de itinerário a efetuar (de preferência ser portador de mapa da área do percurso);
  • Consultar a previsão meteorológica e avaliar as condições climatéricas locais;
  • Ser portador de calçado e vestuário adequados ao percurso e às condições climatéricas;
  • Levar uma mochila para transporte de mantimentos, estojo de primeiros socorros, cantil com água e apito;
  • Se possível, ser portador de um equipamento de comunicação móvel operacional.

Conduta

  • Utilizar apenas os caminhos sinalizados;
  • Evitar ruídos e atitudes que perturbem a tranquilidade dos locais de passagem;
  • Observar a fauna sem a perturbar;
  • Não danificar nem recolher elementos naturais;
  • Não abandonar o lixo. Depositar apenas em locais onde exista serviço de recolha;
  • Fechar cancelas e portões, caso surjam durante o percurso;
  • Respeitar a propriedade privada;
  • Não fazer fogo;
  • Ser afável com outros utilizadores.

Contatos

  • Emergência nacional: 112
  • Parque Ecológico do Funchal: 291 784 700 / 913 993 082