Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram      Município do Funchal

terça, 26 julho 2016 09:28

Paulo Cafôfo visitou resultados da Oficina Solidária

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, e a Vereadora Madalena Nunes, que tem o pelouro social na autarquia, visitaram vários bairros sociais e centros comunitários nas freguesias de Sta. Maria Maior e São Gonçalo. O principal foco residiu naquele que tem sido o trabalho concretizado pelo projeto 'Oficina Solidária' que, a cargo da empresa municipal Sociohabitafunchal, tem vindo a recuperar todo o tipo de mobiliário para servir de recheio à habitação social da autarquia, durante os últimos três anos.

O Presidente Paulo Cafôfo quis destacar “o investimento notável que tem sido feito no melhoramento da nossa habitação social”. O autarca explicou, de seguida, o que é que significa criar habitação: “a política da autarquia não é dar casas e deixar as pessoas à sua própria sorte. Toda a gente precisa de conforto, precisa de condições de habitabilidade e isso infelizmente não é nenhum dado adquirido, mesmo depois de terem a chave na mão. Esta preocupação com o bem-estar de quem já é apoiado é um trabalho gradual, de todos os dias, que é tão importante como o parque habitacional em si próprio.”

A visita contemplou, ainda, diversas obras de beneficiação em moradias e em espaços comunitários, para além dos múltiplos contactos estabelecidos no terreno com os residentes das zonas visitadas, nomeadamente no Palheiro Ferreiro, no Canto do Muro e em Sta. Maria. A Vereadora Madalena Nunes partiu da mesma premissa do Presidente para aludir, por sua vez, à questão da inclusão: “Aqui podemos constatar a riqueza de vertentes em que fazemos apoio às famílias do Funchal. Muito mais do que habitação social, aqui tomamos conta das crianças, compomos o recheio das casas, melhoramos os centros comunitários. Essa é a única forma de assegurar a inclusão das nossas pessoas com bem-estar e com sucesso.”

A Oficina Solidária é um projeto orgânico da Sociohabitafunchal que nasceu em 2013, da perceção de que muitas das pessoas a quem era concedida habitação social, não tinham depois meios para rechear por si próprias as suas novas casas. Foi assim constituída uma equipa de trabalho, em articulação com o Departamento de Ambiente do Município, que recupera todo o tipo de mobiliário que é deitado fora, entregando-o depois a quem mais precisa. Até hoje, a Oficina Solidária já apoiou diretamente cerca de 30 famílias dos bairros sociais camarários, tendo agora encetado protocolos com as juntas de freguesia de Sta. Maria Maior e de São Gonçalo, com vista a reforçar a sua ação e alargar o alcance do trabalho realizado.