Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram      Município do Funchal

sexta, 24 janeiro 2020 13:50

CMF e Associação Conversa Amiga inauguraram projeto social “Habitação Partilhada”

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, conjuntamente com o Presidente da Associação Conversa Amiga – ACA, Duarte Paiva, inauguram, esta manhã, o projeto “Habitação Partilhada”. Trata-se de um projeto de integração social, com o apoio da Autarquia Funchalense, destinado às Pessoas em Situação de Sem-Abrigo do concelho, e que funcionará como alojamento de transição.

Miguel Silva Gouveia salientou, na ocasião, que “estamos aqui para dar início a um projeto único e pioneiro na região, que irá permitir às pessoas em situação de sem-abrigo, uma transição digna da rua, para um alojamento, onde irão encontrar uma equipa que irá trabalhar e acompanhar estas pessoas, ajudando a adquirir as competências necessárias para o bem-estar pessoal e autonomia, e consequentemente, promover o processo de transição e inclusão na sociedade”.

O projeto apresenta-se assim sob dois aspetos fundamentais, a “Transição e a “Motivação”, sendo, de uma forma inovadora, diferenciada, e centrada na pessoa, uma solução para um problema profundo da nossa comunidade. O Centro de Acolhimento de Transição e Motivação funcionará 24 horas por dia, para garantir o alojamento a 6 pessoas em situação de sem-abrigo, em habitação individual, e funcionará também como espaço diurno para as pessoas acolhidas, podendo estas permanecer neste centro como parte do seu processo, mediante o seguimento de cada caso.

O Presidente relembrou, por fim, o trabalho que a Autarquia tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos anos na defesa desta causa, “estamos no terreno em várias vertentes, apoiamos as associações através do nosso Programa de Apoio às Atividades de Interesse Municipal e também oferecemos apoio direto, como é este caso, com a prestação de serviços. E mesmo sabendo que o trabalho nesta área é da competência da Segurança Social regional, não ficamos alheios, e a nossa prioridade é, garantir a proximidade, e continuar a apoiar e a investir, naqueles que são os problemas sociais do Funchal”.