Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram

sábado, 13 julho 2019 15:55

Curral dos Romeiros terá rede pública de Saneamento Básico pela primeira vez

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, e o Vereador Rúben Abreu, que tem o pelouro das Obras Públicas e do Saneamento Básico, visitaram, no Curral dos Romeiros, nas zonas altas do Monte, a obra que vai criar, pela primeira vez, uma ligação à rede pública de esgotos, através da criação de uma Estação de Tratamento de Águas Residuais compacta. Trata-se de um investimento global de 244 mil euros, cofinanciado pelo POSEUR, e a nova ETAR está a ser instalada numa área de aproximadamente 200 m2, sendo dotada de um sistema de tratamento secundário por lamas ativadas e tratamento biológico das águas residuais domésticas.

Miguel Silva Gouveia sublinha que "o Curral dos Romeiros nunca foi servido por uma rede pública de Saneamento Básico. Agora, depois de lançados aproximadamente um quilómetro de rede de coletores, com ramais de ligação às cerca de 70 famílias ali existentes, para um total de 300 pessoas, e com a instalação de uma ETAR compacta com tratamento secundário, estes funchalenses poderão, já em agosto, ver cumprida esta sua antiga aspiração. Este é mais um investimento significativo nas zonas altas do concelho, que não só preconiza o esbater das desigualdades entre funchalenses, mas que promove igualmente a sustentabilidade ambiental."

O Presidente recorda que "no concelho do Funchal, a população servida com sistemas de drenagem e de tratamento de águas residuais ronda os 90%, mas subsistem ainda alguns aglomerados mais isolados que não têm acesso à rede geral de saneamento, devido sobretudo ao seu afastamento da rede. Os investimentos no sentido de debelar essa realidade são sempre bastante exigentes, quer a nível financeiro, quer a nível operacional. Esta é, pois, uma conquista importante para esta população e uma intervenção simbólica para a Autarquia, resolvendo uma questão com impacto direto na qualidade de vida da comunidade, em pleno século XXI.”