Imprimir esta página
quarta, 09 janeiro 2019 11:41

CMF oficializou protocolo com Teleféricos da Madeira para gestão do Funchal Card

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, e os Administradores da Teleféricos da Madeira João Guerreiro e José Gouveia, oficializaram, esta manhã, um protocolo entre a Autarquia e a Teleféricos da Madeira, entidade que passará a gerir o produto e a marca Funchal Card, “uma parceria que não se cinge à celebração deste protocolo, mas pelo contrário, que já acontece há algum tempo.”

Paulo Cafôfo começou por relembrar que “os teleféricos na Madeira são uma das principais experiencias que os turistas podem usufruir na cidade do Funchal, pelo que valorizamos a qualidade e a excelência do serviço que têm vindo a prestar àqueles que nos visitam”, destacando ainda que “o Funchal, como destino turístico, é especial não só por aquilo que tem de mais autêntico, mas também pela rede de atratividades que fazem com que tenhamos um reconhecimento internacional enquanto destino, e enquanto catalisadores daquilo que é o turismo na Região.”

“É nesse sentido que temos procurado, em termos turísticos, desenvolver uma estratégia com ações concretas, que possam qualificar o destino Madeira através do Funchal. O Funchal Card, criado pela Câmara Municipal, tem exatamente esse objetivo, reunir as principais atratividades, serviços turísticos e experiências num cartão, permitindo ao turista usufrui-las de forma integrada, com determinados benefícios”, acrescentou.

“Somos facilitadores de experiências, daquilo que de melhor a nossa terra tem para oferecer. Em última análise, o cartão tem muito a ver com o grau de satisfação dos turistas, pois tendo acesso a um pacote de serviços e atratividades, estamos a fomentar a sua satisfação, o que é imprescindível numa ótica de fidelização e satisfação em relação ao destino.”

Paulo Cafôfo concluiu assumindo que “houve interesse por parte da Teleféricos da Madeira em gerir o Funchal Card e coube-nos, enquanto Autarquia, criar as condições para que um operador privado pudesse investir no produto. A potencialização do cartão implica investimentos, como por exemplo em termos de interface digital, e essa é uma ação que um operador privado pode concretizar com mais facilidade. Contamos, por isso, com a Teleféricos da Madeira para cumprir o potencial deste produto e os objetivos para os quais foi criado, de uma forma mais abrangente e com maior adesão.”