Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram      Município do Funchal

segunda, 03 fevereiro 2014 17:34

Funchal aposta na Ciência e na Cultura

Foi, hoje assinado, no Salão Nobre da Câmara Municipal do Funchal, o protocolo entre a autarquia a empresa WindBirds.

O protocolo tem como objetivo a cooperação e colaboração entre as duas partes, nomeadamente em projetos de investigação, acções de divulgação da fauna, flora e geologia, bem como em ações de formação. Visa ainda reforçar os laços de cooperação entre ambas as instituições, com vista a contribuir para uma maior divulgação e conhecimento do património natural da Madeira, em geral e do Funchal, em particular, proporcionando desta forma um crescente enriquecimento cultural da sua população. Institucionaliza uma relação informal de colaboração que se desenvolve há mais de 5 anos e que já se traduziu na publicação conjunta de vários trabalhos científicos, entre eles uma nova lista das aves da Madeira.

Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal do Funchal começou por elogiar o trabalho «meritório e único» que tem sido efectuado ao longo dos anos pelo Departamento de Ciência da autarquia, destacando ainda a importância deste protocolo, não só por beneficiar o Departamento de Ciência da autarquia mas também a cidade do Funchal, dado que a WindBirds é uma empresa que trabalha num nicho de mercado do Turismo Científico, área cada vez mais importante no Turismo.

Paulo Cafôfo adiantou ainda que a Câmara Municipal do Funchal vai também, através de protocolo, aprofundar a relação com a Universidade da Madeira, dado que para a autarquia Ciência e Cultura são áreas muito importantes.

Por seu lado, o Director do Departamento de Ciência da CMF, Manuel Biscoito, frisou que, nos seus 80 anos de história, o Museu de História Natural tem beneficiado muito da relação com privados, apontando, nestas contribuições, a disponibilização de espécimes que vão sendo encontradas.

Da parte da WindBirds, Hugo Romano Caldeira Hugo salientou que a empresa pretende que «todo o conhecimento» adquirido, no terreno, seja «divulgado para a comunidade em geral».