Facebook Youtube Twitter Google + Vimeo Instagram

Juntas de Freguesia

Junta de Freguesia da Sé
Junta de Freguesia da Sé

Morada e Contactos

Travessa dos Reis, nº 15
9050-443 Funchal

Telefone: 291 225 621

Fax: 291 233 926

Endereço de email: jfse-fx@sapo.pt

Horário de Funcionamento / Atendimento ao Público

Segunda a Sexta das 9h00 às 12h00 e das 14h00 às 18h00

Junta de Freguesia - Composição do Executivo
Foto Presidente Composição do Executivo
Luis Miguel Moura de Sousa
(PPD/PSD)

Secretária: Maria Fernanda Alves Pereira Giannotta
(PPD/PSD)

Tesoureira: Celina Maria Pereira Alveno
(PPD/PSD)

Assembleia de Freguesia - Composição

Presidente: Jorge Manuel da Silva Morgado (PPD/PSD)

1ª Secretária: Filipa Patrícia Andrade Fernandes (PPD/PSD)

2ª Secretária: Miliza Sousa Mendes (PPD/PSD)

Vogais:

Maria Raquel Ramos Aguiar Lombardi (Coligação Confiança (PS))
Cátia Micaela Coelho Vieira Pestana (Coligação Confiança (JPP))
José Júlio de Carvalho Gomes Curado (Coligação Confiança (PS))
José Nélio Ornelas Soares (CDS/PP)
Nicolas Max Veldhoen Ribeiro (PPD/PSD)
Luís Jorge Gonçalves de Freitas (PPD/PSD)

Mais informação sobre a Freguesia

Breve Enquadramento Histórico

A freguesia da Sé, inicialmente conhecida por Santa Maria Maior, foi a sucessora da primeira freguesia do Funchal, instalada com a chegada dos primeiros povoadores. O rei D. Manuel havia acedido a um pedido dos habitantes para a construção de uma igreja maior, dado que a pequena igreja construída junto ao calhau da praia, era já muito acanhada para a população.

O rei aproveitou então para reformular a vila, oferecendo o antigo “Campo do Duque” para a construção de um centro político e administrativo, demarcado em 1486, onde deveriam ser levantados os Paços do Concelho, uma igreja grande e, num largo entre essas duas construção, uma picota, ou pelourinho, símbolo do poder municipal.

O pelourinho veio logo no ano de 1486, mas foi colocado junto a Nossa Senhora do Calhau, nunca chegando a ser posto no local inicialmente determinado por D. Manuel.

A população, no entanto, assustou-se com o enorme projecto enviado de Lisboa e houve alguma dificuldade em levar a obra adiante. A construção arrancou definitivamente em 1500, sob a orientação do novo vigário frei Nuno Cão, e estava quase pronta em 1508, quando foram benzidas as paredes. Procedeu-se à transferência da freguesia e no mesmo ano a vila do Funchal foi elevada a cidade.

Em breve, a igreja grande era acabada para sé, sede do bispado dos descobrimentos portugueses, instituído em 1514, passando o vigário frei Nuno Cão a deão da nova Sé.

Em 1558, dado o crescimento da cidade, era reinstalada a freguesia de Santa Maria Maior, com os terrenos para Oriente da Ribeira de João Gomes, quase como a conhecemos hoje. Progressivamente, com o aumento da população, foram sendo criadas outras freguesias dentro dos terrenos da inicial freguesia da Sé, o que nem sempre agradou ao cabido, como aconteceu em 1566 quando foi instalada a freguesia de São Pedro, cuja duração foi efémera. Mas as dimensões da cidade e a sua população não paravam de aumentar. Consequentemente foram criadas as freguesias rurais de São Roque e São Martinho e reinstalada a de São Pedro. Mais tarde haveria de surgir a freguesia de Santa Luzia, e assim sucessivamente.